Custo no setor de saúde sobe 20% com Guerra na Ucrânia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O espalhamento dos efeitos da Guerra na Ucrânia chegou aos custos de dispositivos e equipamentos de saúde, aponta monitoramento da Abimed (Associação Brasileira da Indústria de Tecnologia para Saúde).

No primeiro trimestre deste ano, 100% das empresas ouvidas em sondagem realizada pela entidade disseram ter registrado aumento de despesas com gastos setoriais. A origem dos aumentos está no custo com a logística e com as flutuações do câmbio.

Pelo menos 30% das empresas relataram altas superiores a 20% na comparação com o período de janeiro a março de 2021. Segundo o levantamento da entidade, 85% das empresas do setor não viram reflexos do conflito no país europeu sobre o volume de materiais importados.

A entidade destaca, porém, que embora os dados possam ser “tranquilizadores, levam em consideração o volume de importações realizadas em um momento anterior ao começo do conflito e podem vir a sofrer alterações caso a situação se mantenha por prazo mais dilatado.”

Apesar das incertezas, o monitoramento da Abimed mostra que 90% das empresas esperam fechar o primeiro trimestre com faturamento maior ante 2021, e 45% planejam aumentar seus investimentos.